FEMINILIDADE E QUOTIDIANO

FEMINILIDADE E QUOTIDIANO

Quando éramos mais jovens, com o sangue na guelra e energia para dar e vender tínhamos muito mais ímpeto de sedução, de feminilidade, sem lá… de sex-appeal no fundo.

Depois, com o passar dos anos as nossas hormonas atraiçoam-nos e o nosso subconsciente habitua-se. Depois vem o trabalho, a família e o contexto social. Tudo isto nos vai a pouco e pouco tornando cada vez mais acomodadas e até mesmo um pouco desleixadas por vezes.

As mulheres são seres completamente mutantes. As fases da nossa vida mágica são de um esplendor absoluto e temos de saber amar a nossa feminilidade abraçando com igual paixão desde o histerismo da puberdade até à sabedoria da menopausa. Pelo caminho virão os amores e os desamores, os filhos e as mudanças do nosso corpo e mente, a luta pela carreira de sonho, a farra com as amigas, os quilos a mais e os quilos a menos.

É preciso viver intensamente e celebrar à sua maneira própria a sua existência, enquanto MULHER!

Ouvi uma vez uma mulher “de farda” que trabalhava rodeada de homens dizer “Eu aqui sou um homem. Sou igual a eles!” e dizia isto com orgulho. Eu fiquei triste porque me pareceu que aquela mulher, no seu íntimo não queria ser um homem. Só queria que a tratassem de igual para igual. Quando conversei com ela sobre estas e outras coisas, entendi o fundo da questão. Ela despersonalizou-se da sua essência feminina para procurar igualdade de direitos. QUE TRISTE!!! A culpa não é dela, mas sim de um sistema que ainda diferencia as pessoas, as suas competências, deveres e direitos e até os salários… POR GÉNEROS!

Nós somos fortes e bonitas. Delicadas, mas donas de um poder inabalável. Queria ver os nossos homens lidarem com tudo o que temos. Frustração laboral, sobrecarga de responsabilidades [acumulando as de casa com as do trabalho], um corpo que está sempre em mudança radical até ao fim da vida, engravidar, dar à luz [eles não aguentavam isto amigas… nem na parte física nem na psicológica]. Engolir sapos, coisa que as mulheres fazem muito mais que os homens…

A maternidade também muda tudo. Inverte a nossa ordem de prioridades de um dia para o outro… e claro, todas as mães acabam por ter muito pouco tempo para si mesmas ou nenhum, para além da paciência e presença de espírito que ao fim de um dia MUITO LONGO já parece não permitir mimar-se a si própria.

Parecendo que não, tudo isto que enumerei acima vai minando aquele ser atraente, sensual e até um pouco picante que fomos outrora. É preciso recuperar guerreiras, e não é pelos homens, é por nós mesmas!

Deixamos algumas dicas para recuperar o seu sex-appeal:

– Cuide da sua pele.quando criamos o hábito de colocar um creme de rosto à noite e pela manhã estamos também a criar um novo alerta no nosso subconsciente. Aos poucos a nossa pele criará outro aspecto pelo efeito dos cuidados e a nossa cabeça criará esse hábito também.

– Cuide do seu cabelo.Não deixar a coloração da raiz atrasar até à linha da orelha já é um começo para começar a encarar que a sua figura tem alguma importância. Tudo o que vier por acréscimo é válido e valioso: fazer um penteado, um corte novo, um brushing de vez em quando… o cabelo é a moldura do rosto!

– Tenha um guarda-roupa “desempoeirado”. Não consigo encontrar melhor expressão. Que não seja demasiado neutro e sem graça, nem demasiado sexy, mas também não demasiado reservado, nem demasiado cinzento, nem demasiado adulto… mas também que não seja demasiado descontextualizado para a sua idade. Encontre peças que gosta, que lhe fiquem bem e que valorizem a sua presença e a sua personalidade, sem pôr em causa que é uma mulher completa.

– Menos é mais… mas menos não significa que seja NADA.Ao menos um rímel e um gloss… por favor! E se não for pedir muito pelo menos um acessório de moda: um anel ou uns brincos, ou uma pulseira… Vá lá, não custa nada. Já agora, as mãos são o seu cartão de visita, arranje-as nem que seja só com um “brilhinho”.

– Racionalize sobre a sua alimentação.Com o avançar da idade este é um exercício de muita importância. Não digo isto só por uma questão de peso, mas sim também porque a alimentação influência directamente a nossa saúde. Não intoxicar o nosso organismo é de extrema importância.

– Faça exercício.Não precisa de se inscrever no ginásio mais perto do escritório e abdicar da hora de almoço se não for essa a sua praia. Qualquer forma de exercício que a ponha em movimento é válida. Opte pela que mais gosta e lhe dá prazer. Bicicleta, caminhar ou correr ao ar livre, dançar, nadar, dançar… cada um é como cada qual!

Permita-me deixar-lhe uma última dica. Não se esqueça da princesa, nem que fosse das que jogava à bola e brincava com carrinhos e que um dia residiu dentro de si. Que era divertida e feminina sonhando ser uma MULHER CRESCIDA um dia. O sonho dessa princesinha já é real! Ela já é uma senhora grande… ela está no espelho, ansiosa por falar consigo!

 por Equipa UltraFeminina

equipa.ultrafeminina@gmail.com


ultrafeminina.pt é mais que um endereço, é o nome da sua nova amiga, da sua nova atitude e do seu novo refugio secreto. Porque ser feminina não basta... é preciso ser ultra feminina!