ELOGIO DO EU

Caras Ultras, nem sei que vos diga! Ando a aperceber-me de uma forma mais ou menos feroz da quantidade de narcisistas que coleccionei à minha volta.

Ingenuamente e antes de me aperceber que padeciam [sim… do verbo padecer, porque o narcisismo parece-me uma espécie de doença grave, pelo menos aos meus olhos desarmados] de algo sério, chamava-lhes apenas egoístas, que a esta distância, hoje, até me parece um elogio.

Os meus narcisistas de estimação, são altamente discretos. Uns mais que outros, é certo, mas estão sempre com a capa vestida. Às vezes até envolvidos cinicamente em “coisas solidárias” como eles chamam. Pois bem, só o facto de se usar a expressão “coisas solidárias” já diz muito!

Charmosos e galantes [refiro-me a eles e elas] somam e seguem fingindo interessar-se pelas conversas dos outros e muito dependente do grau de QI de cada qual, lá vão monopolizando as conversas para chegarem sempre à palavra “EU”.

Eu isto, eu aquilo, eu também já fiz isto e aquilo, eu passei por muito pior, eu fiz muito melhor, EU, EU, EU, EU….

E o nosso tempo de antena lá vai ficando assim pendurado por tempo indefinido enquanto ELES estão entretidos a dissertar sobre si mesmos.

Há ainda os mais espertos. Perigosos até! Os que desenvolveram a habilidade de fingir que ouvem e que se interessam, mas garanto-vos amigas, não há uma única das vossas palavras que esteja retida naqueles cérebros doentios. É como “falar para surdos”.

Irritante mesmo é que perante alguém muito, muito narciso, todos os problemas que nós desabafamos são altamente desvalorizados ou relativizados. É SEMPRE A CORTAR a direito!

E apaixonar-se por um destes?

No inicio galantes e cheios de sedução. Aparentemente autênticos príncipes e princesas encantados, mas desenganem-se, nunca lhes assiste a verdadeira paixão de conquistar, mas sim a paixão empolgante  de provar a si próprios que são capazes. Acreditem em mim amigas, estes tipos só estão apaixonados por uma única pessoa neste mundo: ELES PRÓPRIOS.

Começo até a crer que qualquer interesse que vejam seja lá em quem for só tem por base uma única pergunta: Para que é que esta pessoa me pode servir/ser útil? E assim que cessar essa utilidade, seja ela qual for, irão descartar-nos e passar à “próxima vítima” crentes que nós, comuns viventes, ali estaremos à espera que nos deem atenção. Enfim…

Eles e elas são os mais castigados pela vida, os mais massacrados, os que alcançaram as maiores victórias depois de longas provações, os que mais sofrem e os que mais riem, detentores poderosos de uma verdade exclusiva e inabalável. Sabem mais que toda a gente.

Sabem que mais amigas [e porque estamos perante uma condição incurável, pelo menos ao meu ver]… não estou nem aí! Aturem-se uns aos outros!

E eu, como gosto de ler, deixo-vos um excerto de um livro bom caso se identifiquem em algo neste artigo:

“Se você é casado com um narcisista, deve sentir-se como um satélite afetivo. O ego funciona como um astro-rei ou uma estrela fulgurante nas relações interpessoais: ocupa a posição central, cega e, se você se aproximar demais, vai pulverizá-lo. As pessoas narcisistas se consideram especiais, únicas,  grandiosas e imbuídas de um toque quase celestial, enquanto veem os demais como inferiores, vassalos ou simples partidários…. quanto mais você ama um narcisista, mais estará alimentando o sentimento de grandiosidade dele e mais ele se afastará de você…No estilo narcisista, o gene egoísta alcança a sua expressão máxima e se manifesta sem rodeios e de forma desmedida. É o lado antipático da autoestima, seu lado obscuro, a desproporção do eu… O narcisista não pode abraçar o próximo porque vive encapsulado em suas próprias necessidades e sentimentos… Costuma ser abusivo e arbitrário na condução dos bens comuns do casal, sejam eles físicos  psicológicos ou emocionais… Uma premissa que guia a conduta dos sujeitos narcisistas é a de que o fim justifica os meios, sendo o fim eles mesmos e os meios dos demais… É um devorador de energia. É tanta a sua necessidade de admiração e aprovação que jamais aceitará um parceiro que lhe fizesse sombra em algum sentido… As pessoas narcisistas interpretam um desacordo ou uma crítica amistosa como um ultraje e uma falta de respeito com seu foro especial… Os narcisistas odeiam as pessoas assertivas, só porque dizem honestamente o que pensam e não se deixam manipular…Os seus parceiros tendem a ser pessoas submissas que evitam contrariá-las em qualquer sentido… quando alguém com um esquema de entrega ilimitada encontra um narcisista, se produz uma simbiose tão extraordinária como mortal. Haverá combinação mais perigosa que um viciado em trabalho junto a um explorador? Que ninguém duvide: a mais-valia afetiva existe. O sujeito narcisista é um receptor nato e um péssimo doador de amor, que se vê a si mesmo como o destinatário natural de qualquer expressão amorosa… Para se relacionar com um estilo narcisista-egocêntrico, a maioria das pessoas recorre a duas estratégias básicas: adorar o parceiro sobre todas as coisas  ou fazê-lo descer do pedestal e humanizá-lo…Se quiser manter um narcisista feliz e contente, basta aplicar duas estratégias pró-ego: contribuir com a sua “boa imagem” e admirar de forma incondicional a sua grandiosidade.” 

RISO, Walter. Amores de Alto Risco. Págs. 99 à 113.

Mrs. Simple
equipa.ultrafeminina@gmail.com


ultrafeminina.pt é mais que um endereço, é o nome da sua nova amiga, da sua nova atitude e do seu novo refugio secreto. Porque ser feminina não basta... é preciso ser ultra feminina!