O PERFEITO SÃO JOSÉ

Olá Ultras,

Quem me conhece já sabe a afeição que eu tenho pela Sagrada Família e que todos deveríamos ter. No entanto a figura de S. José é discreta, subtil e muito mais silênciosa que as demais.

No nosso ver aqui pelo pasquim, S. José é o perfeito dos heróis humanos. Um homem singular entre os singulares, porque a ele foi pedida a mais nobre, dificil e até obtusa das missões.

Ora vejam… tal seria a qualquer um de vós estar noivo de determinada pessoa que aparece grávida, jura que não tem culpa, que carrega o filho do próprio Deus e que foi um anjo que lhe disse… não me admira que numa primeira reacção S. José tenha pensado em afastar-se de Maria subtilmente.

Eu faço uma pequena ideia do que S. José há-de ter pensado aferventado de mil e um preconceitos, ideias, medos, escândalo, pavor… sei lá!

“Vou deixar Maria!”

Tal teria sido… Oh José, não nos faças uma coisa dessas!

Primeiro pensamento de S. José: Perfeitamente entendível do ponto de vista humano, mas Deus é sempre mais! Não só Deus é mais, porque é MAIS… como é mais porque mesmo sem que S. José soubesse, pensasse ou sequer imaginasse, Deus já queria fazer dele um exemplo até ao fim dos tempos. E olhem que de há dois e mil e tal anos a esta parte o mundo já deu muitas voltas.

Sonha então com um Anjo que o acalma e esclarece, mas se forem bem ver as coisas é exactamente AQUI que S. José se transforma num herói improvavel.

Reparem bem, este discurso podia ser muito bem o de S. José para Deus Nosso Senhor…. “Ah e tal mas eu já tenho idade um bocadinho avançada… o que é que o povo vai dizer de mim… que sou um fraco, que fui usado por essa tal de Maria, que diz que não conhece homem mas está de bebé, dizem que fez um voto no templo, eu também…! Repara Deus, eu sou pobre e já não vou para novo. Tanto homem nesta terra!!!”“Mas és tu José!”“ Oh Deus… então e de guito? Vou subir na vida? É que são três bocas para comer.”“Não José. Nada vai mudar, vais continuar a ser pobre só que terás de trabalhar mais para sustentar os três.”“Hei caramba Deus!”“Mas há mais José… dado ser o filho do próprio Deus, a Maria tem de ficar ali, imaculada, não lhe toques José!”“Oh Deus… e não podia ser o fulano, o beltrano ou o cicrano? É que eu como te digo, sou pobre. Não tenho nada para oferecer à Maria nem ao menino e estou aqui no meu cantinho tão sossegado.”“Não. És tu José! E há mais umas coisas que precisas de saber. Vai andar o próprio Rei e Roma inteira atrás da tua cabeça, da de Maria e principalmente da do menino e tu tens de me assegurar que eles permanecem vivos!”“Xiiiiiii Deus….. então vais-me mandar um exército para me ajudar, certo?”“Não José só te dou uma mula para as deslocações, mas só cabe a Maria na Mula, tu tens de ir a pé a puxar a mula, a Maria e o menino.”

Eu já faço ideia do olhar de S. José… assustado, horrorizado, chocado, com vontade de fugir e de se esconder sem saber muito bem onde etc. Etc e tal.

“Olha Deus, sabes aquele anjo com que eu sonhei. Será que ele me podia dar uma mãozinha?”“Pode José, quando o cerco apertar muito pró teu lado eu mando-o cá abaixo avisar-te que é para tu fugires.”“Espera aí Deus… vou ter de andar a fugir pelo deserto? Só com uma mula e sem um tostão, em que eu tenho de ir a pé a segurar a Maria e o menino porque não dá para mim? E deixo a minha vidinha, casinha, planos, as minhas coisas ,etc. Tudo?”“É isso mesmo, José! Entendeste tudo muito bem! Então, aceitas?”

E não é que José se encheu do Espírito Santo e aceitou? ACEITOU MESMO!

 AH VALENTE!!!!!  

Depois disso há-de ter sido tudo um mimo. As hormonas de Maria na gravidez. O dinheiro sempre a escassear. O menino que crescia em estatura, sabedoria e graça, logo, todo um S. José a tentar estar entretido na carpintaria e os dentinhos de Jesus a romper as gengivas e uma gritaria infindável (e olhem que não havia medicamentos na época e Jesus foi VERDADEIRO DEUS E VERDADEIRO HOMEM, não confundam que não há-de ter sido nenhuma história de embalar). As birras com toda a certeza encantadoras naquela fase dos 3 para os 4 aninhos. Aquilo lá pelas arábias que deve ser uma poeirada que nunca mais acaba, aquela casinha sempre cheinha de pó. As roupinhas do “minino” sempre tudo encardidinho…As noites sem dormir porque o menino tem cólicas e chora como se o estivessem a matar. Maria sempre calma e tranquila como todas as mães, do 8 ao 80 ora em controlo de tudo, ora com os cabelos em pé… abdicando do seu sono, do seu tempo e de si mesma… toda uma fuga para o Egipto, como se atravessar o deserto numa mula, sem dinheiro e sem direcção definida fosse igual a um passeio à EuroDisney!

Tenham dó! A vida de S. José não foi com certeza chupar uma cana doce! Eu faço ideia as dores do tanto que o homem tinha que trabalhar para pôr comida na mesa. As noites que o desgraçado nem deve ter pregado olho só a ver se o Rei Herodes não lhe aparecia de surpresa e se calhar quando adormecia ainda sonhava que o rei Herodes vinha lá… só da aflição! E S. José fica ali. Não desnima, não abandona, não foge, não volta atrás, não troca de sentimentos…

Digam lá se S. José não é verdadeiramente, O HOMEM!

E reparem, homenzinhos dos dias de hoje, que Deus nunca mais em tempo algum fez pedido semelhante… Pode até pedir parecido, mas igual não! Temos de assemelhar-nos a Cristo, à Sagrada Família e etc. e alguma forma Deus vai arranjar de isso acontecer. E vai pedir-nos o que tiver a pedir. Por mais estrambólico que nos pareça o pedido! Não com tamanha responsabilidade do próprio filho de Deus, tamanho grau de pobreza, com a própria vida em risco, exigindo que nem num fio de cabelo tocasse da Senhora e sem protecção alguma especial! Mas Deus é assim, uma vez ou outra podem surgir missões mais ou menos invulgares e surpreendentes. Julgam que Deus é o quê? Uma estátua de gesso no altar das igrejas? Que está ali amordaçado por convenções e burocracias?

  Oh vidinha dura a de S. José, que recebeu de facto, o mais austero dos pedidos. O aparentemente mais estrambólico, desarticulado, estranho e obtuso de todos os pedidos! E é que até a igreja da época não viu aquilo como havia de ter visto. SEM SÃO JOSÉ, A HISTÓRIA HAVIA DE TER SIDO BASTANTE DIFERENTE. E como ele nunca abandonou, nunca desistiu do projecto família, nunca recuou e sempre no seu ritmo discreto. É preciso muita fé, é preciso muito Deus no coração, é preciso clamar muito pela força do Espírito Santo para ter dito o seu “SIM”, mas S. JOSÉ DISSE-O E DEU UM PASSO EM FRENTE e NUNCA MAIS O MUNDO FICOU NO MESMO LUGAR. Só pela coragem de um homem e de uma mulher!!! Eu adoro Deus por isto! Transforma o pequeno numa obra épica!

Queria ver qualquer um dos homens por aí! Era logo “Oh Deus… escolhe outro… que eu já faço o meu papel!” e mais mil e uma desculpas de que lembrassem de repente para se justificarem.

Há-de ter pensado na sua cabecinha mil e uma e outras mil e uma vezes se aquilo era de facto assim. Se aquilo de facto vinha de Deus ou se estava maluco. Que bruta porta estreita… Oh José!

 Aqui chegados… o homem que recusar a Deus tomar uma esposa que Ele oferece, o homem a quem Deus requisitar que tome sobre si o fardo de uma família…e se puser com promenores, promaiores, tretas, desculpas, justificaçõezinhas e etc. Temos uma palavrinha para eles… VÃO ORAR A S. JOSÉ!

Sagrada Família… Rogai por nós!

São José… Rogai por nós!

E já agora, Deus do meu e do nosso coração, providencia um perfeito S. José para todas as Ultras e para mim também… que o nosso desejo é formar famílias para salvar o mundo, mas tem de haver homens instruídos por ti, que nos acompanhem nesta tarefa e nos ajudem a formar a nossa família na tua palavra e na tua fé e em oração, que é para depois as gerações a seguir continuarem este trabalho. Oh Deus… será que é pedir muito? Eu e todas as Ultras pedimos-te este especial presente de natal e vamos orar à Sagrada Família e a S. José por isto. Vou pedir à mamã do céu que escolha um dos seus filhos para nos acompanhar como Deus fez com Ela e para mim vou ousar pedir um com preparação de elite, que seja meigo e atencioso, que me ame a mim e aos meus filhos, que seja amigo de orar e que tenha vontade de evangelizar, que agarre a minha mão para nunca mais a largar. para me ajudar nesta empreitada… já lhe ando a pedir à muito tempo… Ela sabe! Traz-mo no natal mamã… este ano, se for possível.

Nossa Senhora do Rosário de Fátima… roga por nós!

Três pastorinhos de Fátima… roguem por nós!

por Ana equipa.ultrafeminina@gmail.com

{ a gaja que tem a mania de pensar, mas não pensa sozinha}

SUGESTÃO MUSICAL:

Amr Diab – Tamally Maak


ultrafeminina.pt é mais que um endereço, é o nome da sua nova amiga, da sua nova atitude e do seu novo refugio secreto. Porque ser feminina não basta... é preciso ser ultra feminina!