MRS. SIMPLE [#4]: LITTLE THINGS

MRS. SIMPLE [#4]: LITTLE THINGS

ALGORITMO DO AMOR #4

Conheço aquele ar que ela faz. Baixa a cabeça, caminha com passos pequenos para cá e para lá. Começa a fazer isto, larga. Começa a fazer aquilo… larga. Fica desconcentrada e de quando em quando até começa levemente a arfar e a “bufar” discretamente.

Aí, eis que ele entra na cozinha, e não é que os homens sejam exactamente seres inteligentes mas ele percebe logo que está em sarilhos. Qual criança desorientada começa a hiperventilar, olha ao seu redor e pensa “o que é eu fiz?”  enquanto verifica no alcance da sua vista algo que esteja francamente errado e o problema é esse: no alcance da sua vista.

Os homens só vêm o óbvio e nós mulheres vemos um monte de coisas, as que há e às vezes até as que não existem!

Homens e mulheres a coabitar debaixo do mesmo tecto talvez seja das coisas mais difíceis de gerir que francamente me parece uma equação improvável em que a humanidade anda a insistir à demasiado.

Caras Ultras, há coisas nos homens, pequenas manias comuns a cada um daqueles seres que só vestem calças, que NÃO MUDAM MESMO. E por isso, fiz uma pequena lista de dramas quotidianos que fazem passar completamente a mais tolerante das princesas.

Vamos conferir!

O MONOPÓLIO DA TV

Ou a nave do seu macho já não provém de Marte ou por certo ele adora estar de comando da televisão na mão. Começam logo em crianças. Vêm TV e só lhes falta pôr o comando no bolso. Pior que isto é quando mudam de canal sem dizer uma palavra, o que é um hábito comum. Eu sei que você pensa “Hã… o meu não é assim…”, É POIS! Experimente levantar-se, ir à casa de banho e vai ver se quando lá chegar ainda está a dar a novela – “Pensava que já não querias ver, demoraste tanto tempo…” – é só dissimulação amigas.

POSSUÍDO PELO ESPÍRITO DA AMIZADE

Ele é um ser dedicado e carinhoso, mas quando está com os amigos fica diferente. Transforma-se e fica liberto. Até aqui tudo bem não fosse o liberto algo que o aproxima (e muito) de um Neandertal. Eu sei que é duro, mas se ele quiser a casa para ver futebol com os amigos, ceda! Você não vai mesmo querer ver o seu delicado príncipe transformado num “javardo”. Será testosterona a mais para aguentar. Saia com as amigas, vá ao shopping, ao cabeleireiro e à manicure, visite a sua mãe (a sua sogra até), faça o que entender mas não se exponha a níveis de testosterona acima da média e ainda por cima concentrada ou arrisca-se a ter de passar mais de meio serão a fingir que está divertida.

PELOS DA BARBA NO LAVATÓRIO

Adoramos homens barbeados, certo? Mas dispensamos ter de passar o sacrifício de ver o lavatório cheio de pêlos… até porque têm o condão de se esconder nos sítios mais recônditos  da torneira e é aí que muita unha fantástica acaba sacrificada. Poupem-nos!

NUNCA ENCONTRAM NADA

Já tinha dito que os homens só vêm o óbvio, mas eles exageram. Típico quadro: você está no sofá a (tentar) relaxar, ele vai à cozinha e … pronto, acabou-se o sossego!

“Amor, onde está o queijo?”

“No frigorífico.”

“Onde?”

Você começa a cerrar os dentes. – “No frigorífico ao pé da manteiga”

“Onde?”

Você já começa a arfar. – “Na prateleira do meio.”

“Onde?”

Não dá minha gente! Riscou o disco? A mulher levanta-se, abre o frigorífico, vai directo ao queijo, faz a porra da sandes, manda com ela para dentro de um prato e ele com um ar fascinado de quem você descobriu o caminho marítimo para a Índia diz:

“Não vi. A manteiga estava a frente!”

TENHAM DÓ!!!! FO***SE! Querem o quê? As coordenadas GPS? E tem mais! Se não encontram o queijo, comam pão com manteiga (podia ser que assim vissem o queijo que estava mesmo atrás).

ARRASTAR TUDO O QUE LHES PEDIMOS PARA DEPOIS

Esta ninguém aguenta. Ele fica no sofá horas e horas a fio entretido com o seu próprio tédio. Você já pediu em tons de voz cada vez mais imperativos que ele ponha o bendito varão para nós pendurarmos aquele cortinado fantástico que nos custou uma pechincha, que pinte aquela parede medonha com uma cor viu na Caras Decoração porque caso contrário não teremos coragem de convidar nem mais um ser humano a entrar na nossa casa e viveremos em reclusão eterna, que ele faça uma escolha na sua própria roupa com vista a que os modelos de t-shirts que ele usa desde 1990 sejam substituídos por outros mais actuais e (ainda) sem borboto. Enfim… ele lá vai dizendo “agora não me apetece nada, pode ficar para amanhã?”“Claro que sim amor, a moda é cíclica e esses trapos vintage não tarda nada hão-de estar na moda outra vez… o cortinado há-de dar uma óptima coberta para o sofá quando estiver coçado do tempo que o menino aí passa e a parede… essa, pode deixar para eu dar cabeçadas quando estiver à beira de um ataque de nervos!”

Não há pachorra!

DIZER DESCARADAMENTE QUE ANDAMOS MUITO NERVOSAS

Quando não encontram explicação melhor ou se negam ou se estão borrifando para analisar e ver com atenção o nosso lado das coisas, e quiçá tentar ajudar a resolver a questão simplesmente estoiram pela boca fora “Andas muito nervosa!” e isso acalma tanto a chama da nossa fúria como mandar gasolina para uma fogueira.

ESCOLHE TU

Os homens são seres eternamente imaturos e inseguros que face à ira de uma esposa em fúria tremem como varas verdes. Sabem que não podem correr o risco de nos levar aos mesmos “tascos” onde bebem copos com os amigos e se comportam como vikings. Por isso, cada vez que demonstramos vontade de ir jantar fora ou sair a um lugar diferente eles imediatamente respondem “Escolhe Tu!”. Claro que eles nunca irão entender que o nosso verdadeiro desejo seria que eles à saída do trabalho nos enviassem um SMS a dizer “Põe-te linda, vou-te levar a um sítio fantástico!” [que eu nem deveria pôr isto em itálico ou entre comas dado que presupõe assim que estamos a citar e a única coisa a citar com estas palavras é apenas o vazio da mente dos homens] e é por essa mesma razão, que o medo de falhar os leva a dissecar o Google Maps ou a lista completa da Zomato antes de nós começarmos a revirar os olhos logo a seguir ao “escolhe tu”. A pena é que no fim da história ELES NÃO ENTENDAM MESMO, que para nós ir jantar fora funciona ao mesmo nível que o sexo para eles… depois de tanta indecisão, afinal a vontade já passou.

Sabem amigas Ultras, esta coisa da vida a dois pode muito bem ser uma montanha russa emocional em que ora estamos no paraíso, ora estamos no inferno. Haviam eles de entender a equilibrar as coisas para nos manter satisfeitas, mas são limitados… tão limitados…

Aturar um homem em todo o seu “esplendor” pode muito bem estar ao nível de chupar um limão todas as manhãs e haverá sempre a certeza de que amanhã tudo será exactamente igual. Eu sei, é duro mas é verdade! Se o seu baby é um macho típico, delicado como um urso pardo, ele NUNCA irá transformar-se num príncipe só por sua causa. Não se iluda, deixe de ser tola. Ou pega ou larga. Agora se deseja, mesmo, mesmo passar o resto da sua vida com um príncipe encantado eu dou-lhe a fórmula. Todos os homens são príncipes enquanto nos tentam engatar, por isso, basta trocar assim que ele sentir intimidade suficiente para “peidar” debaixo dos lençóis. Simples, não é? Só não pode apaixonar-se. Não pode mesmo porque a Disney escreveu a história ao contrário e assim que o beijar, ele vai transformar-se num sapo. Então escolha, de um lado um preguiçoso, javardo e trapalhão com testosterona suficiente para lhe fazer a cabeça em água e a seguir a agarrar pela cintura e encostar a uma parede como se a continuidade da espécie dependesse da virilidade dele e do outro um reino encantado de restaurantes “bacanos” e príncipes de papelão… que fazem um enorme charme consigo… e com todas as Marias da terra.

E quando tudo isto nos basta… estamos mal amigas!

Seguir a UltraFeminina

Gostou? Partilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Em destaque

Artigos relacionados

O AMOR

Não é porque nos aproximamos do Natal que este tema deve ser debatido aqui no pasquim das Ultras. É sim, porque nos parece pertinente para