Sempre que estou aqui – refiro-me à minha terra, Cabanas de Viriato – sinto uma grande inspiração culinária, talvez devido à abundância de natureza e de produtos de cultivo artesanal…

Em certos sítios, o cheiro das ervas aromáticas que ninguém se dá ao trabalho de plantar mas que crescem por toda a parte, suplanta a própria imaginação e invade os nossos sentidos de uma vontade grande de ir para a cozinha e inventar!

Desta vez inventei esta receita de coelho, que sem espaço para falsa modéstia, estava um manjar maravilhoso.

INGREDIENTES:

1 coelho partido + as suas miudezas

 Salsa + Coentros + Alecrim + Pimenta branca em pó (pré-moída)

Sumo de 1/2 limão médio

1/2 cebola média + 1  Alho Francês + 2 dentes de alho

2 taças médias de vinho branco (eu usei vinho caseiro)

Água

IMG_2818

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREPARAÇÃO E CONFECÇÃO:

1-Refogar a cebola em azeite. Quando a cebola tomar um tom alourado, colocar o coelho a selar bem junto com o alho francês e um pouco de pimenta a gosto.

2- Juntar uma das taças de vinho, o alecrim e um pouco de água (mais ou menos 3 copos).

3- Deixar que coza lentamente.

4- No final de todo o coelho estar bem cozido, junta-se o sumo o 1/2 limão, o restante vinho e mais um copo de água, consoante necessário.

5- Esta receita necessita de pouca quantidade de sal, dado ao sabor das ervas aromáticas e da lenta cozedura que acentua ainda mais os sabores.

6- Deixar evaporar em lume médio por 2 ou 3 minutos e colocar a salsa e os coentros picados. Apaga-se o lume e deixa-se repousar outros 2 ou 3 minutos.

ESTÁ PRONTO!!!

Desta vez apeteceu-nos uma batatinha frita, mas ficará bem com outros acompanhamentos.

Se fizer esta receita em sua casa, dê-nos o seu feed-back! 🙂

— por equipa UltraFeminina

equipa.ultrafeminina@gmail.com

Seguir a UltraFeminina

Gostou? Partilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Em destaque

Artigos relacionados

O AMOR

Não é porque nos aproximamos do Natal que este tema deve ser debatido aqui no pasquim das Ultras. É sim, porque nos parece pertinente para