O ESPÍRITO SANTO

 

AS-SALAMU ALAIKUM, queridas Ultras,

(que a paz esteja sobre vós, queridas Ultras)

Prometi que iríamos visitar o menino Jesus, na sua gruta em Belém, e vamos… (mas não sem antes fazer a travessia do deserto) e não sem antes nos enchermos devidamente do Espírito Santo, e quem melhor para nos inspirar acerca do Espírito Santo que S. João Baptista, primo de Jesus, que o próprio Jesus fez questão de ser baptizado por ele (não é pouca coisa, hein) e que após o baptismo de Jesus, viu o próprio Espírito Santo?

Pois bem… eu como leiga ignorante que sou limito-me a ler a bíblia de forma linear e sem me pôr com grandes teologias, considerações ou interpretações – quem sou eu afinal, ou qualquer um de nós para se pôr com interpretações das sagradas escrituras, que são tão claras, afinal. (é um bocado como aqueles banquetes cheios de talheres, que no fundo servem só para atrapalhar, confundir e baralhar, induzindo sempre ao erro – lá vai o desgraçado comer a sobremesa com a colher das entradas e prega a fundo a comer o prato de peixe com a faca de carne… só porque nem entendeu pelo aspecto demasiado refinado ou pelo nome sofisticado da comida do que é que se tratava afinal…)

Não fosse uns amigos que vêm  à minha cave ajudar-me a ler a bíblia e ainda hoje andaria à procura de teologias e mais teologias. Foi um frade franciscano, muitíssimo meu amigo e uma criança pequena que me descomplicaram o cérebro, até lá eu era muito cheia de nove horas, quês e porquês. Andava baralhada como toda a gente. E as respostas afinal, estavam todas diante dos meus olhos. Sempre estiveram, e dentro do meu coração.

Vejamos então: voltando a João Baptista, sabe-se que era muito amado por Jesus, seu primo, filho de Zacarias e Isabel, que era considerada estéril e já de idade avançada. Zacarias era nem mais nem menos, que sacerdote e sua esposa Isabel não era nem mais nem menos que estéril. Claro está que hoje com a confusão dos tempos, ideias e teologias e com as voltas que se dá às sagradas escrituras nem S. João Baptista teria nascido… mas enfim… adiante!

Peçamos a mais esta família simpática de Zacarias, Isabel e João Baptista que olhem por nós dos céus e nos confiram a sua intercessão para que chegue a nós a verdadeira força do Espírito Santo, oremos então:

Vinde Espírito Santo.

Enchei os corações dos vossos fieis e acendei neles o fogo do vosso amor.

Enviai Senhor o vosso espírito e tudo será criado E RENOVAREIS A FACE DA TERRA.

E AGORA SIM, podemos começar à procura do menino Jesus pelas areias do deserto.

A herança do Senhor. Deus prometeu a Abraão descendência tão numerosa quantas as estrelas do céu, Deus respondeu ao voto de Ana, oferecendo-lhe não um, mas vários filhos, Deus abençoou a Zacarias e Isabel com um filho, São João Baptista, Deus ofereceu ao mundo o seu próprio filho. Deus cria amor e vida.

E aqui é hora de revermos os nossos pensamentos e lavar os olhos. Quem de nós se isentar, fugir ou arranjar desculpas para boicotar o dom da vida, já saberemos quem é que reina nessa alma, e não é Deus com toda a certeza.

Quem oferecer a Deus a sua “abstinência”, a mulher ou o homem que ousar pensar que não procriar e fugir do amor é coisa abençoada, pense melhor. Vá ler a bíblia de novo e veja bem como é a “promessa de Deus” desde a primeira página do antigo testamento até ao Apocalipse, em que já se mira uma mulher prestes a dar à luz e já o dragão, habituado a devorar os filhos de Deus está a salivar para roubar mais um.

Claro que a guerra com satanás não é feita ao estalo, por isso, contemos com uma luta ao nível da baralhação, confusão intelectual. Estudar Deus! Oh que grande disparate! Essa foi precisamente a árvore onde Deus disse para não se tocar e é precisamente aí que a humanidade perde mais tempo e é precisamente aí que o demónio vai vencendo sempre mais a raça humana.

Não é que a intenção do povo de Deus seja má… mas de facto, a besta (que nem tem outro nome) já baralhou os pirolitos da malta a tal ponto que até a biblia já parece um livro encriptado, quando está lá tudo escancarado. Quanto mais simples a mente e mais esvaziada para Deus… melhor se consegue ler com clareza e sem pré-ideias, interpretações e considerações.

Quando os homens de Deus não puderem assemelhar-se à Sagrada Família e à família de Zacarias, exemplos do próprio Deus afinal, caminharemos a passos muito largos para o fim dos tempos, pois qualquer iletrado com a quarta classe entenderá a lógica. Não devolverem o próprio dom da vida, do amor e da família de volta ao remetente dos céus que afinal é o próprio Deus que dizem amar e glorificar de todo o coração como um presente devolvido… não restará a Deus senão no seu trono decidir avançar com a vinda de Cristo ou enxugar o suor da testa com o seu próprio manto para suspirar de tristeza, desilusão e desconsolo.

Parte importante de tudo isto, está claro é a GRATIDÃO. Só um coração grato, poderá ver a benção e a promessa de Deus. A realidade é que foi só para isso que fomos feitos: para amar, louvar a Deus e DAR GRAÇAS!

O PROBLEMA É QUE COMPLICAMOS. Quando amamos não damos valor e não damos graças. Geralmente damos graças quando Deus protege a nossa integridade física, o nosso bem estar, o nosso sossego ou a nossa prosperidade financeira… mas quando amamos NÃO DAMOS GRAÇAS! Quando amamos e somos amados não sentimos gratidão por isso, porque nos tornámos tão mesquinhos que só nos amamos a nós mesmos.

Hoje sou grata pelo dom do amor. Ainda mais grata porque o Senhor encheu a minha alma de amor e não de amor fácil. Mas o Dele também não o foi. O amor do menino Jesus e da Sagrada Família, rompeu com todas os maneirismos, escandalizou, trouxe com ele todas as inovações, toda a rebeldia. Até S. José era o pai adoptivo de Jesus… e nós, sempre empurrando para o outro “Oh Deus, escolhe outro que eu não estou preparado. Que eu não me sinto capaz.”, como se Deus não nos capacitasse para o que nos pede… Oh meu Deus… que gente esta!!!

E está ELE, UM PEQUENO BEBÉ tranquilo, calmo. Com a sua mãe que naquela época poderia ter sido apetrejada, insultada… com o seu pai adoptivo que embora se pudesse sentir humilhado por aceitar Maria já grávida, o menino que nem era do seu sangue… ambos numa luta constante, dura e até inglória nesta terra. Este casal, se trocassem de nome e de aparência, estou crente que ainda hoje, passados mais de dois mil anos, ainda escandalizaríam muita gente. E o que mais me estranha é que esta gente de hoje em dia, fica ali a olhar para o presépio e a achar que entendeu tudo. E o tudo que entendem é: a mamã, o papá e o bebé!

Que LINDO!!!! SÓ QUE É CURTO… É preciso pôr o pé lá no deserto de há dois mil anos. Entender o escandalo que aquilo há-de ter sido! Entender toda uma Maria orante, que diz na biblía “ tudo observava e meditava em seu coração”, pois calculo que mesmo Maria deparada com a grandeza e extravagância de Deus se tenha entregado à providência, pois a Sua missão era de facto muito estranha até para ela mesma entender. Todo um S. José que em vez de se tornar numa barata tonta aflita, resolveu entregar-se àquele amor absolutamente radical, singular, extravagante, inconvencional, escandaloso e tudo o mais que possam imaginar!

MAS DEUS É ASSIM, PLANTA EM NÓS SENTIMENTOS PARA QUE O MUNDO AVANCE!

É que a mensagem é de tal maneira simples, que a malta anda à dois mil anos a estudar e estudar outra vez e a descodificar e a interpretar uma mensagem que qualquer criancinha vê: a mensagem é SÓ ESSA! AMAR, LOUVAR E DAR GRAÇAS! INDEPENDENTEMENTE DAS CIRCUNSTÂNCIAS! O que não entendermos, vamos guardando e meditando em nossos corações, pedindo a graça de entender… mas sempre amando, louvando e dando graças igual a Maria e José! Não se indigna, não faz interpretações, não se enche de medos, não se inquieta muito. Não rejeita a vontade de Deus.

Reparem que neste quadro “rejeitável” e inglório que há-de ter sido esta Sagrada Família naquela época… corresponde a GLÓRIA MÁXIMA E ABSOLUTA DO CÉU!!! Só que as pessoas não estavam ainda muito receptivas, e Deus optou pela terapia de choque! ADOROOOOOOO!

Mas fiquemos tranquilos que até à volta de Cristo, estou certa que o coração de Deus vai entrando de mansinho, secretamente e de forma bem discreta, porém numerosa. Estou certa que Maria está a reunir um exército de amor.

Deus não brinca de ser Deus e eu também não brinco de O adorar! Na dúvida, obedecer antes a Deus do que aos homens… Ah VALENTE MARIA DE NAZARÉ!!! Que no TEU SIM, viraste a página da história da humanidade!

“Oh Maria, olha que te vão perseguir!” – “Olha que as pessoas vão olhar para ti de lado, um bocado como se andasses grávida e nem soubesses de quem!” – “Olha que as pessoas vão-te acusar de ser uma herege e andares para aí a dizer que é o filho de Deus… a malta lá da tua aldeia vai dizer que fritaste a pipoca e agora dizes que viste anjos e cenas…” – “Oh Maria, e achas mesmo que um Deus tão austero e rigido e castigador te ía mandar logo a ti e ao José o filho Dele…” – “A Maria das duas uma… ou ficou maluca e já não diz coisa com coisa OU ENTÃO VIU MESMO DEUS”… POIS… E AÍ RESPEITINHO!!! MUITO RESPEITINHO!!! É que a tal Maria, não quis saber de nada desse discurso de “mete medo” que muito bem pode ter sido o discurso que satanás lhe há-de ter buzinado ao ouvido e não há-de ter sido pouco… mas é que depois de ouvir Deus, ver Deus… e de dizer “SIM”, DEPOIS de José que também há-de ter sido atormentado pela besta com mil e um fantasmas da besta, depois do “SIM”, EU FAÇO A TUA VONTADE MEU SENHOR E MEU DEUS, MESMO NÃO A COMPREENDENDO… já a engrenagem divina estava em movimento para o inicio de tudo o que conhecemos hoje e até do que está para vir…

A Sagrada Família sempre me atraiu como um íman, talvez porque sou filha, neta e bisneta de carpinteiros. Talvez porque nasci numa família humilde mas com uma grandeza de fé enorme, talvez porque nos meus momentos de aflição sempre os invoquei, até que pedi a graça de entender o porquê de tanto fascínio pelo presépio e por Jesus, Maria e José. E Deus, ATRAVÉS DA MAMÃ DO CÉU, foi-me dando a graça de entender, de me colocar na época, no lugar dos personagens, de conhecer os seus medos, de sentir as tentações de abandonar a missão por causa do julgamento do mundo e das pessoas e da incompreensão humana… mas é tudo isso! A incompreensão dos outros!

Maria há-de ter sido uma mulher daquelas que ninguém pára… Na sua calma e paz de espírito havia de residir uma força e uma garra incomparáveis. Deve ter sido de uma coragem e de uma força inigualáveis. De uma boa rebeldia! – e é por isso que eu amo a Mamã do Céu! E é por isso que os jovens se afastam cada vez mais da fé! Porque não observam a Sagrada Família em condições! E IMAGINAM QUE FOI TUDO ASSIM, ESTÁTICO E PERPETUAMENTE IMUTÁVEL como os presépios das lojas… são tudo bonequinhos de cerâmica eternamente embalsamados com vidinhas perfeitinhas que não partiram nem um prato.

SÓ QUE NÃO!!! Deus quando vem, vem em pezinhos de lã… fala ao coração e depois não parte só um prato, parte a loiça toda! Jesus, Maria e José rebentaram com todas e mais algumas convenções, costumes, falatórios, mentes mesquinhas, perseguições, medos, fobias e sei lá eu mais o quê. Maria e José foram de peito contra tudo e mais alguém, fugiram para o Egipto escondidos, criaram o menino, fizeram e aconteceram… muito rebeldes, muito corajosos, muito selvagens, de um coração agigantado de facto! A SAGRADA FAMÍLIA, NÃO VEIO PARA PARTIR UM PRATO… VEIO PARA PARTIR A LOIÇA TODA! – e eu adoro Deus por isto, e eu respeito e admiro a Mamã do céu por isto. Por esta fibra, por ser destemida, audáz, cativante, dinâmica, guerreira e adoro S. José por estar nem aí para o falatório, para o julgamento dos homens, para as mentes e corações pequenos, etc. E Jesus claro… só por EXISTIR verdadeiramente “BORN TO BE WILD” – QUASE IRÓNICO, “Sim, eu sou Deus, a minha mãe ficou grávida antes de casar, o meu pai é adoptivo, sou pobre que dá dó e o meu pai trabalha dia e noite para me sustentar e eles ainda vão ser acusados de tudo e mais alguma coisa porque eu só vou começar a revelar-me lá para os trinta anos, ainda vão andar foragidos porque a malta não há-de entender muito bem estas coisas. Mas eu vim só para dar um recado: só atira a primeira pedra quem não tiver mancha nem mácula, e só para esclarecer que a vontade de Deus é que se amem uns aos outros!”

 

Claro que este quadro repetindo-se hoje, seria assim mais ao estilo discreto, secreto e que todas as mudanças aconteceriam de dentro para fora (para evitar perseguições, maus-estares e escandaleiras) aos poucos com a benção de novas Marias, Isabeis e Anas junto de novos Josés, Zacarias e Abraãos e estou certa que aos poucos, lentamente tudo se renovará! Tudo se renovará se as mãos e os corações permanecerem unidos!

No fundo, quanto mais a ignorância… melhor se entenderá. Lá está! Deus revela-se aos ignorantes para confundir os sábios. O espírito santo transforma os corações fracos em corações fortes!

OH DEUS… TRANSFORMA OS CORAÇÕES FRACOS EM CORAÇÕES FORTES!

Lindo… não é?

OREMOS AGORA:

A minha alma glorifica o Senhor *
E o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador.

Porque pôs os olhos na humildade da sua Serva: *
De hoje em diante me chamarão bem aventurada todas as gerações.
O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas: *
Santo é o seu nome.

A sua misericórdia se estende de geração em geração *
Sobre aqueles que o temem.
Manifestou o poder do seu braço *
E dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seus tronos *
E exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens *
E aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, *
Lembrado da sua misericórdia,
Como tinha prometido a nossos pais, *
A Abraão e à sua descendência para sempre

Glória ao Pai e ao Filho *
E ao Espírito Santo,
Como era no princípio, *
Agora e sempre. Amen.

 

Pois assim é Deus. Simples, directo, e o povo faz confusão atrás de confusão, teoria atrás de teoria, pensamento atrás de pensamento, porquês atrás de porquês!!!! E o mundo vai-se transformando nisto que se vê! Eu tenho cá para mim que qualquer dia, quando os tempos apertarem muito ainda Deus mobiliza os céus inteiros, santos e anjos e revela-se para aí a uma criatura qualquer a ver se as pessoas deixam de ser complicadas e entendem de uma vez para sempre a AMAR E DEIXAR SER-SE AMADO – CARREGAR E HONRAR UMA FAMÍLIA, UMA ESPOSA/ESPOSO E CRIAR MAIS GERAÇÕES – DAR GRAÇAS E LOUVAR A DEUS – EVANGELIZAR!

Do céu Deus há-de dispersar os poderosos e entregar os seus tesouros aos humildes para que deles zelem e tomem conta.

 

Eu cá na minha ignorância ando desconfiada que Nossa Senhora aparece em vários sítios só para nos fazer entender que esta vidinha simples como a da Sagrada Família ou a da Família de Zacarias, por isso já disse ela mesma que “por fim, o meu imaculado coração triunfará”, assim como João baptista nos entregou o Espírito Santo antes da vinda de Cristo. Faz alguma lógica, hein!!!!! Sería a receita mais que perfeita, simples e sem complicómetros para salvar a humanidade. Em vez de uma Sagrada Família, fazer “N” sagradas famílias, um exército de Sagradas Famílias… conduzidas pela mão de soldados especiais (é que se estamos em combate, precisamos de soldados… e de todos de preferência, não há isentos). Espero no íntimo do meu coração, que mesmo que a Besta me tenha confinado a dias e noites de solidão, ainda assim, eu acredito que o triunfo do imaculado coração de Maria tenha começado nesse dia. Ainda que a besta me tenha confinado e isolado e roubado o sorriso, ainda assim eu acredito que Deus vai honrar e sair vitorioso e trazer-me um guerreiro para perto de mim.

Não há-de Deus permitir que Satanás me roube cada gota do meu sangue, do meu suor e das minhas lágrimas. Que permaneça assaltada entre tarefas, trabalhos e afazeres para os quais já quase nem tenho forças como uma Marta agitada. Manda-me Senhor… envia-me aquele que me prometeste para que eu descanse nos seus braços, consolada pelo bater do seu coração!

É que Deus carece de soldados em campo de batalha e não de hipnotizados mais engessados que as estatuetas do altar. A divagar, a teorizar, a debater, a analisar mas no fundo, estáticos, imóveis e inúteis literalmente à espera da “vinda de Cristo”, à espera que seja outro o escolhido!

Bem… mas vamos voltar à procura do menino Jesus que o deserto é grande e isto do fim dos tempos e do fim do mundo, da vinda de Cristo e estas coisas é um assunto e tanto.

Ora bem. Contemplar o menino Jesus é afinal, contemplar o próprio Deus. Contemplar o Senhor dos tempos. Cada vez que olhamos uma criança, um bebé… comtemplamos a herança divina, a “verdadeira promessa”, olhamos pela janela do tempo e do espaço e da divindade para observar um pedaço de Deus, feito à sua imagem e semelhança. Olhamos para uma mãe e um pai, mesmo que à semelhança de S. José, não seja o seu filho de sangue, ou como Maria, cuja criança não foi fruto da consumação do seu casamento… mas cuja família era o projecto de Deus para eles. Outras vezes contemplamos a familia de Zacarias, outras a de Abraão, outras a de Ana… e outras vezes só a família de cada um de nós, dos nossos próximos ou até dos desconhecidos!

Olhar o presépio, olhar Jesus é olhar para o futuro. Porque cada criança irá ser o adulto de amanhã. É saber que ali os céus ordenaram que O AMOR FOSSE A ÚNICA PALAVRA DE ORDEM. O MANDAMENTO ACIMA DE TODOS OS OUTROS!

Olhar a Sagrada Família e ver que o AMOR é a convenção acima das convenções, é ver a RECEITA E A FÓRMULA PARA O TRIUNFO DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA!

O amor fez-se carne e veio habitar entre nós. E assim nós compreendemos, só pela simples observação disto que nunca ninguém se sentiu ou sentirá pleno se amar somente com a alma… mas de igual forma nunca ninguém consegirá ser plano se amar somente com o corpo. É neste uníssono de amar de corpo e alma que o ser humano encontra a plenitude e se aproxima do divino. Porque somos feitos de carne e de espírito!

Quando amamos alguém, os nossos braços querem servir o outro, queremos ajudar, queremos aliviar a caminhada e o fardo do outro. Queremos aliviar-lhe o peso da cruz e do dia a dia. Pomo-nos ao serviço. E isso é o amor da alma e na concretização disso mesmo é o amor feito carne. Quando passa do verbo à acção. E isto entre todos os seres humanos.

Nos casais esta simbiose é ainda mais plena, quando Deus faculta a graça de transformar duas almas e dois corpos num só. Duas almas que se santificam em conjunto  [ARTIGO SOBRE ISTO EM ELABORAÇÃO] e se vão aperfeiçoando, protegendo e amando em conjunto, como nos exemplos biblicos ou como os pais de Santa Teresinha por exemplo e como até a própria Sagrada Família.  Na sagrada família, o próprio Deus nos dá o exemplo. Nos mostra! Nos diz como deseja que o mundo se santifique e se torne prospero. A receita! A fórmula! O exemplo! DEUS QUIS TER UMA FAMÍLIA, QUIS DAR ESSE EXEMPLO.

E ENTÃO?

Vamos amar? Vamos deixarnos de desculpas, palermices e idiotices e vamos simplesmente colocar o coração do lado de fora do peito de uma vez para sempre? Vamos abraçar sem medo de abraçar e entender que aquele que nos aparta não é Deus?

A VER SE ENTENDEM: AQUELE QUE APARTA OS SERES HUMANOS DO AMOR E CONSEQUENTEMENTE UNS DOS OUTROS NÃO É DEUS!!!!

E já agora, rezem o terço! TODOS OS DIAS!

E A PROPÓSITO:

FELIZ ANO NOVO!

FELIZ 2020 

por Anaequipa.ultrafeminina@gmail.com

{a gaja que tem a mania de pensar, mas não pensa sozinha}

SUGESTÃO MUSICAL, já servindo de banda sonora ao próximo artigo [gosto destes xutos, estes 5 rapazes têm certa veia profética 🙂 de uma genialidade que às vezes me parece que tocam e cantam inspirados pelos céus, para histórias que ainda haviam de vir, somente escondidos no grande livro de Deus em cenários que só os olhos escolhidos conhecem… mas isso sou eu, que vejo Deus em tudo! ]

 


ultrafeminina.pt é mais que um endereço, é o nome da sua nova amiga, da sua nova atitude e do seu novo refugio secreto. Porque ser feminina não basta... é preciso ser ultra feminina!